Uncategorized

Less is more.

23 June, 2019

Muito se vai falando no palavrão “minimalismo” –  depois de me informar melhor sobre o assunto, de ver bastantes documentários  e começar a olhar à minha volta – percebi que por vezes menos é realmente mais.

Fala-se de tendências, seguem-se formas de estar e inevitavelmente surgem-nos consumismos desnecessários, aos olhos dos mais céticos. Fossemos todos nós mais assim.

Este tema é daquelas tendências – espero eu – que seja para ficar.

Comecei por ver o documentário que saiu há não muito tempo na NetFlix: Minimalism, A Documentary About the Important Things.
De conversas que se foram criando com alguns amigos, e com estes minutos perdidos em documentários – que confesso nunca ter sido grande fã -, a minha atenção sobre este assunto aumentou em escala.
Ryan Nicodemus, um dos autores do documentário, explica que o minimalismo não é para ser visto como uma “competição” sobre quem tem mais ou menos. Segundo ele “É o contrário. Queremos mais: mais tempo, mais espaço, mais paixão, mais experiências. Limpamos a confusão do caminho da vida para sermos mais livres.” Trata-se de desapego.

Todos estes versos parecem-nos bonitos quando são lidos de um guia diretamente para as cameras, ou escritos em blogs completamente random. O difícil é, como sempre, passar à ação.
Por isso, e como vai sendo habitual por aqui, preparei-vos a papinha (quase) toda. Deixo por aqui alguns pequeninos passos para te desprenderes do que está a mais na tua vida.

1. Capsule Wardrobe

Começamos com um desafio: define cerca de 30 coisas essenciais e que realmente usas do guarda-roupa – incluindo acessórios e carteiras. Tudo o resto, enfia numa mala bem longe da tua vista.

Regra: caso queiras alguma das coisas guardadas, vale trocar por outra peça e nunca adicionar aos 30 iniciais.
(Percebi que tinha mais coisas que imaginava.) Com esta, vai ficando mais fácil, ao longo do tempo, desapegares-te do que realmente não usas.

Próximo passo: doar essa tralha acumulada..

2. Clean clean clean!

Separa tudo por categorias: calças, camisas/tops, casacos, sapatos, acessórios, carteiras.

Depois começa a analisar peça por peça. Aqui, esquece por favor a camisola quentinha que o ex ofereceu há três anos, e aquele cachecol [cheio de pontas soltas] que era da mãe, da mãe, da mãe.
Confesso que para mim é muito difícil desapegar-me de sentimentalismos, mas por vezes é necessário parar de criar esta ligação com coisas materiais. O truque é esquecer todo e qualquer valor sentimental que a peça terá para ti.

Outra dica – À medida que se for analisando as peças, experimenta separar em quatro grupos:

  • manter;
  • em dúvida;
  • doar;
  • lixo

Não serve? Doar. Não está em bom estado? Lixo. Ficou na dúvida? Guarda numa caixa, longe dos teus olhos por alguns meses. Se perceberes que não sentes falta: doar.

3. Money flies

Pega no último extracto bancário e tenta perceber em que é que foi gasto desnecessariamente no último mês. Começa pelo que foi comprado que poderia ter sido dinheiro poupado. Subscrições em determinadas aplicações (NetFlix, Zomato Gold, Spotify Premium, por exemplo) que por vezes já nem usamos tanto ou a mensalidade do ginásio – que continua a sair mais vezes da conta, do que as vezes que por lá passas, confessa.

4. O E-mail

Neste campo eu peco até dizer chega. Tenho dezenas de mails de publicidade por abrir ou, simplesmente, apagar. A ideia aqui é mesmo esta: perder tempo para limpar a inbox, não só apagando o que há, mas também fazer unsubscribe a todos eles.
Imagino que uma caixa de entrada limpinha seja tão relaxante. Por agora, ainda só imagino..

5. (Outro) desafio

Desativa as notificações do telemóvel. Um cliché, mas o que realmente tem de ser vivido, é o que acontece à nossa frente. Mesmo quando está a acontecer o concerto das spice girls em direto.. É saber, e perceber, que mais tarde milhares de pessoas vão publicar partes desse momento – e que todas as partes acumuladinhas com sorte darão o concerto inteiro.

Em relação às notificações: desafio-te durante um dia. Avalia o que sentes. Se o resultado for realmente positivo, vai-te desafiando semana a semana.

6. Planear

.. a semana. Para que eu realmente consiga ser produtiva em tudo o que faço, tento preparar, com a agenda de sempre,  todos os to-dos da semana.

Decidir o que fazer durante o dia é uma forma reativa de lidar com as responsabilidades – e de não haver percas de tempo.

7. Refresh

..nas coisas – e nas pessoas – à tua volta. Tudo o que nos rodeia influencia o nosso comportamento. O que vês, com quem falas, o que lês. Escolhe para ti que realidade queres trazer para o teu dia-a-dia.

Entretanto, deixo o documentário. Espero que gostes tanto quanto eu.

Um beijinho,
La Femme & Calm

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *